Corumbá apresenta plano municipal de turismo

Pesca esportiva está contemplada em diversas ações

Por Alison Mota - 07/07/2020 em Notícias / Turismo - atualizado em 07/07/2020 as 13:43

No dia 22 de junho foi sancionada a Lei nº 2.727, que aprova o Plano Municipal de Turismo de Corumbá. Considerado um marco na região, o plano foi desenvolvido através de oficinas feitas ao longo de 2019, em que a população pode participar por meio de suas representações, com sugestões sendo debatidas antes da aprovação, com sua versão inicial tendo sido apresentada em audiência pública. Esta é a primeira vez que o município sul-mato-grossense terá um plano exclusivamente voltado para o turismo.

Corumbá

Coordenado pela Fundação de Turismo do Pantanal, Conselho Municipal de Turismo de Corumbá (COMTUR) e contando com a participação do trade turístico da região, o plano contempla o turismo regional de forma abrangente. Nesse sentido, a pesca esportiva recebeu atenção em diferentes frentes, com planejamentos que buscam ampliar o campo de atuação de quem trabalha com a prática. Buscando compreender as ações do plano para o esporte da pesca, Carlos Augusto Espíndola, gerente de políticas de turismo da Fundação de Turismo do Pantanal respondeu a algumas perguntas sobre o tema:

Fish TVO plano quer aperfeiçoar os empreendimentos de pesca esportiva. Como será esse processo?

Carlos - As ofertas dos empreendimentos de pesca esportiva estão adequadas para atender os requisitos desse mercado, assim como o aperfeiçoamento das empresas e espaços públicos. Estão previstas no Plano aprimorar os produtos existentes, direcionar e ampliar a oferta com maior competitividade no mercado. Atualmente, a pesca esportiva é realizada principalmente pelos barcos hotéis e pousadas no Pantanal. A oferta é realizada pelas empresas diretamente aos clientes através de site, redes sociais, feiras e indicações de clientes. A estratégia é se posicionar como um dos melhores destinos de pesca esportiva do Brasil.

Para a realização desses objetivos serão priorizadas as seguintes ações: modernizar os equipamentos existentes; incentivar a implantação de melhorias, inovações e experiências nas empresas; incentivar a abertura de novos equipamentos; fortalecer a identidade do destino, através dos empreendimentos; promover o uso de tecnologias ambientais de ponta nos equipamentos turísticos como experiência de preservação ambiental.

Fish TVNo texto há a citação de um campeonato de pesca. De que forma será realizada essa competição?

Carlos - Esse Campeonato está previsto no Plano com o objetivo de fortalecer a pesca esportiva como uma prática sustentável dessa modalidade no rio Paraguai. Tanto é que a Prefeitura de Corumbá, em parceria com governos e empresários, já iria realizar o Festival Internacional de Pesca Esportiva de Corumbá. Ocorreria entre os dias 3 e 5 de abril. No entanto, em decorrência da pandemia, não foi possível sua realização. Mas está no planejamento para o ano de 2021. Essa competição teria modalidades infantil e adulto, com regulamento inovador.

Fish TVSobre as adequações quanto ao mercado de ecoturismo, ainda há muito o que avançar para chegar no que é esperado pelo plano?

Carlos - Antes de mais nada, é preciso dizer que o segmento de pesca esportiva é a mais forte atividade turística no município. Isso fica comprovado pela estrutura existente, seja de barcos, barcos-hotéis e pousadas, que são voltados exclusivamente para a pesca esportiva. Isso também fica bastante evidente pelo quantitativo de mão-de-obra empregada. Só para ilustrar, para cada turista que vem pescar, em média uma pessoa é empregada. No entanto, Corumbá é uma referência quando se fala em Pantanal, o que significa uma vocação natural para o Ecoturismo. Esse segmento ainda é pouco explorado. Mas temos inúmeros atrativos naturais de grande valor para aqueles que apreciam a natureza. Além do rio Paraguai, a quantidade de animais, a rica flora e a Estrada Parque Pantanal, há toda uma história por trás disso que, embrionariamente, alguns empresários já se manifestam.

Com a estrutura da pesca, barcos-hotéis começam a fazer cruzeiros fluviais em época de proibição da pescaria. Temos excelentes estruturas ao longo da Estrada Parque, Porto Morrinho, Porto da Manga, Nhecolândia, Albuquerque e Serra do Amolar. Para isso, serão utilizadas estratégias de marketing, realização de fampress, famturs, contatos com jornalistas e influencers. Além dos mercados existentes, pretende-se também avançar também para países como Bolívia e Paraguai.

Veja a notícia na TV:


Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS