Uma paixão que supera limites

As limitações motoras de Yasmin não são obstáculo para praticar a pesca esportiva

Por Alison Mota - 05/04/2019 em Notícias / Geral

Quando se fala que a pesca esportiva é para todos, isso tem se tornado um fato difícil de contestar. Entre histórias que a Fish TV já contou, como do menino Rudson, que havia vendido sua bicicleta para comprar uma vara de pescar, é possível ver que, quando o pesque e solte entra na vida de alguém, dificuldades são superadas com a paixão pelo esporte.

Dito isto, conheça a história da pescadora Yasmin Vitória de Oliveira, de 9 anos. A paixão pela pesca esportiva é herança dos pais, que levaram a menina até um pesqueiro, isso quando ela tinha 3 anos. Naquele dia, fez sua primeira captura de um pequeno peixe. Esse foi o ponto de partida para algo que não parou mais, pois as pescarias começaram a fazer parte da vida de Yasmin.


Conforme foi conhecendo novos peixes, queria saber o nome de todos, pesquisando e assistindo vídeos na internet e monopolizando o controle remoto na hora de assistir aos programas da Fish TV.

O primeiro grande peixe que Yasmin pescou foi uma pirarara, conhecida pelas longas brigas, o que emocionou a menina, como conta a mãe, Juliana Oliveira. “A primeira pirarara que ela capturou foi muita emoção para todos nós. Yasmin até chorou. Hoje, é a espécie preferida dela”, conta. Os sonhos de pescaria? Nada menos que conseguir pescar os amazônicos tucunaré e pirarucu.


Superação de todos os dias

O que torna a história de Yasmin mais especial ainda, são os desafios vencidos todos os dias. Diagnosticada com mielomeningocele, que é uma má-formação congênita da coluna vertebral, a menina depende de cadeira de rodas para locomoção. Mas, isso nunca foi um empecilho para ela. Muito menos na hora de pescar.

O detalhe está no tamanho de sua cadeira de rodas. Conforme Yasmin cresce, a cadeira vai ficando pequena e desconfortável. Em campanha numa rede social, a mãe chamou a atenção de algumas pessoas, que organizaram uma rifa para levantar o valor da nova cadeira, que tem um alto custo. “O sorteio da rifa já aconteceu e conseguimos arrecadar um bom valor. Mas, como a nova cadeira de rodas custa muito, ainda falta uma parte. Tenho fé que vamos conseguir”, projeta Juliana.

Por enquanto, a família ainda não sabe se será possível criar uma nova rifa, e ainda há a espera por algumas promessas de auxílio. Caso haja interesse em fazer contato, o telefone é (19) 99854-2713.

Enquanto a cadeira de rodas nova não chega, Yasmin segue suas pescarias com um sorriso no rosto, afinal, não encontrou desafio maior que os esportivos peixes.

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS