Tarpon, robalo, corvina e papa-terra: confira estratégias para fisgar os troféus da água salgada

Confira as dicas do apresentador do programa Biopesca, Lawrence Ikeda

Por Matheus Ferreira - 23/01/2020 em Notícias / Geral - atualizado em 23/01/2020 as 15:56

Todos os pescadores esportivos possuem aquele troféu cobiçado. Aquele peixe que sempre é o mais difícil de pegar, que dá aquela bela sensação de satisfação ao retirar da água, não é mesmo? Nas águas salgadas, muitos praticantes de pesca esportiva travam brigas incríveis com robalos e tarpons, mas também há corvinas e papa-terras, que fazem uma pescaria de muita ação.

Lawrence Ikeda, apresentador do programa Biopesca da Fish TV, dá dicas de estratégias para fisgar o seu peixe mais cobiçado:

 

Corvina e papa-terra:

A dica de Ikeda é realizar a pescaria na beira da praia e executar os arremessos das iscas nos canais formados nas zonas de arrebentação das ondas.

Dica de iscas: camarões, tatuís e corruptos e minhoca da praia.



Robalo (Centropomus sp.)

A pescaria pode ser realizada em praias, costões rochosos e rios costeiros de manguezais, utilizando iscas artificiais ou iscas vivas. Uma dica importante: os robalos se alimentam preferencialmente durante os movimentos das marés. Portanto, fique atento e consulte a tábua das marés da região onde for pescar.

Iscas naturais: camarão vivo e pequenos peixes

Iscas artificiais: camarão de silicone e iscas que imitam pequenos peixes, para superfície e meia água.

 

Camurupim ou Tarpon:

O comportamento e as técnicas de pesca do tarpon são iguais ao do robalo. Porém, este escapa muito facilmente por causa da boca dura e óssea, o que dificulta a penetração do anzol e também por causa dos saltos. Dica: quando o peixe pular, afrouxe a linha para tornar menor a pressão no ponto onde o anzol está preso, além de evitar que o peixe quebre a linha.

Iscas naturais: sardinhas

Iscas artificiais: plugs de meia água, jigs e shads.


Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS