Ferramenta online criada nos EUA para incentivar ações sustentáveis é traduzida por brasileiro

Simulador En-ROADS permite que usuário projete cenários e descubra os respectivos impactos para o meio ambiente.

Por Joyce Heurich - 21/10/2020 em Notícias / Geral - atualizado em 21/10/2020 as 14:10

Já imaginou se você pudesse prever os impactos ambientais imediatos e a longo prazo de determinadas ações antes de tomar uma decisão? Essa é a proposta do En-ROADS, um simulador de soluções para mudanças climáticas. Desenvolvida nos Estados Unidos, a ferramenta online ganhou, recentemente, versão em Língua Portuguesa. O objetivo é ajudar o usuário a fazer escolhas mais sustentáveis.

A iniciativa de traduzi-la foi do pesquisador Luís Ambrósio, que atua no Instituto de Zootecnia da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Usuário do simulador desde 2007, ele passou por treinamentos e, em março deste ano, tornou-se o primeiro brasileiro a ser nomeado embaixador do En-ROADS.

"Eu me interessei em utilizar essa ferramenta e contribuir para que ela seja acessível a um público maior. Esse é o trabalho do embaixador”, justifica Luís, que pretende alcançar principalmente produtores rurais por meio de workshops, em parceria com cooperativas e associações. 

A plataforma, cujo acesso é gratuito, permite simular diferentes ações, como uso da terra, desmatamento, emissão de metano, reflorestamento, entre outras. Em seguida, apresenta os resultados dessas ações em gráficos de aumento da temperatura, ampliação do nível do mar e concentração de gás carbônico, por exemplo.

“O simulador mostra o que vai acontecer com a acidez do mar. A acidez do mar está associada à morte de recifes e extinção de diversas espécies. Quem gosta de praticar pesca esportiva no mar tem que defender a preservação dos corais. São eles que mantêm aquela fauna que ele utiliza para seu lazer, sua atividade”, exemplifica Luís.

O pesquisador explica que a ferramenta, embora se apresente de forma simples e intuitiva ao usuário, foi criada a partir de um complexo método matemático que ajuda a fazer projeções em escala global a partir de eventos atuais. Entre os desenvolvedores, está o MIT Sloan, uma das cinco faculdades do Massachusetts Institute os Technology, localizado em Cambridge. 


Efeitos das mudanças climáticas já são sentidos

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as projeções do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) indicam que nos próximos 100 anos poderá haver um aumento da temperatura média global entre 1,8°C e 4,0°C, e um aumento do nível médio do mar entre 0,18 m e 0,59 m. 

O simulador mostra que, se os negócios continuarem como de costume, se não houver incentivo a energias limpas, se soluções sustentáveis não forem priorizadas, no ano de 2100, o planeta irá alcançar o pior cenário - o que afetaria atividades humanas e ecossistemas terrestres. 

“Imagina as ondas de estiagem, de seca, que estamos sofrendo, furacão Catarina, tempestades com granizo. Hoje, já estamos sofrendo bastante com mudanças climáticas”, ressalta Luís. “Se nada for feito, vamos chegar a 4,0°C”, completa.

Como embaixador, ele está disponível para ajudar brasileiros que tenham interesse em explorar a ferramenta, como agentes rurais, professores, alunos universitários ou tomadores de decisões, por exemplo. Se você tiver interesse, pode contatá-lo pelo e-mail:  luis.ambrosio@sp.gov.br.

Veja a notícia na TV:


Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS