Pesqueiros: aprenda a fazer as melhores iscas

Confira as iscas que não podem faltar na sua ida ao pesqueiro

Por Ester Quaresma - 26/01/2020 em Notícias / Clube Fish TV - atualizado em 14/04/2020 as 15:28

As iscas que funcionam em uma pesqueiro variam muito de um lugar para o outro, mas tem algumas coringas que são certeza de peixe na ponta da linha em quase todos: ração, massa, pão, salsicha, minhocuçu, beijinho, entre outras.

Apesar de serem iscas comuns, é preciso se atentar aos detalhes na hora de usar cada uma delas. Confira as dicas do apresentador de Pesqueiros do Brasil, Kleber Sanches, que também narra o Campeonato Brasileiro em Pesqueiros:

Massa

Segundo Kleber, é preciso encontrar o ponto da massa para que ela seja eficaz e prestar atenção a quatro coisas:

  • usar água do lago;
  • não deixar a massa muito seca, esfarelando demais;
  • nem muito molhada;
  • prestar atenção na pressão utilizada na hora de apertar a massa no anzol;

“Só a prática vai ensinar cada um a buscar o ponto correto da massa. A própria pressão que você utiliza na hora de apertar a massa no anzol ajuda bastante a deixar a isca mais firme para que não caia. Uma dica muito importante é colocar o anzol no centro da massa, aumentando bastante a fixação da isca”, orienta Kleber.

Com essa técnica o apresentador já capturou diversos tambacus, matrinxãs e tilápias.

Pão


Apesar de dividir opiniões entre os pescadores, o pão já é presença garantida nos pesqueiros. 

Embora seja considerada uma boa isca, não é qualquer pão que garante fisgadas. A dica aqui é usar o pão francês, mas principalmente:

comprar um dia antes da pescaria

deixar o pão na sacola fechada, totalmente sem ar, para murchar bem

não utilizar pedaços muito grandes

Dessa forma, o pão fica perfeito para ser iscado e não soltar do anzol na hora do arremesso. O Kleber mostra o desempenho dessa isca em suas pescaria do Pesqueiros do Brasil.

Beijinho

Outra dica de isca que também traz bons resultados é o beijinho, que conta com algumas variações na hora do preparo:

  • misturar leite em pó com leite condensado
  • acrescentar coco ralado por cima
  • usar mistura para bolo de coco

E assim como o pão, o beijinho também precisa descansar um pouco, por isso o ideal é produzi-lo um dia antes. E não importa a receita, o doce sempre faz sucesso com tambas e pacus.


Iscas inusitadas

Como não é só com isca coringa que se garante um troféu, Kleber já pegou um gigante com algo bem inusitado.

“Quando eu tinha cerca de 15 anos, estava almoçando em um pesqueiro próximo da minha casa e sobrou um pouco de gordura da picanha no prato. Eu olhei pra ela e logo pensei: a pescaria está difícil mesmo, não custa tentar. Isquei a gordura e peguei o que até então era meu recorde de Tambacu (risos)”, conta Kleber

Ou seja, a dica é experimentar, variar e testar tudo.

Conforme Kleber, uma das vantagens das iscas citadas é a capacidade de atrair uma grande quantidade de espécies diferentes. “A forma com que você utiliza a isca também ajuda muito a selecionar a espécie que você deseja, como ponto do lago onde você arremessará e profundidade da isca na água”, aponta o pescador.

Mas o principal para o apresentador é estar sempre na beira do lago, fazendo amizades e se divertindo. Com o tempo você vai testando novas técnicas, iscas e observando os resultados obtidos para tentar aperfeiçoar-se no esporte. 

“A busca pela evolução deve ser constante e o mais importante é ser humilde e saber que todos sempre estamos aprendendo uns com os outros. Estar aberto a novas informações é ponto chave para o crescimento”, conclui Kleber Sanches.

E para você, quais são as iscas coringas em uma pescaria de pesqueiro?

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS