Pantanal em chamas preocupa autoridades e setor turístico

Se não bastasse o Covid-19, agora as queimadas também trazem problemas e tomam conta da beleza do Pantanal

Por Laís Vanessa - 04/08/2020 em Notícias / Meio Ambiente - atualizado em 05/08/2020 as 10:09

O Pantanal vem sofrendo com as altas queimadas que estão ocorrendo neste ano. Como se não bastasse o Covid-19, que está impossibilitando muitos empresários do setor de turismo de pesca de abrirem suas portas, agora as queimadas tomam conta e cobrem a beleza pantaneira. 

 

No estado do Mato Grosso, por exemplo, os índices têm aumentado consideravelmente. O alto calor, pouca chuva e a cultura que alguns pantaneiros tem em colocar fogo na região, está resultando em um grande desastre para a natureza.  “Aqui na região onde atuo tem muita queimada. Está bem difícil. Isso acaba destruindo a natureza na região. Além das queimadas, tem o vírus, que apesar de baixo o número aqui, a prefeitura ainda não liberou o retorno do funcionamento das atividades turísticas. O decreto vai agora até dia 15 de agosto. Esperamos que até lá, o fogo tenha cessado. Estão tendo ações aqui para conter a disseminação do fogo.”, conta Tarso Ricardo Lopes, proprietário da pousada Pantanal Norte



 

Nesta segunda-feira, dia 03, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, participou de uma videoconferência com a bancada do Mato Grosso para discutir a ampliação das ações de combate às queimadas no Pantanal mato-grossense. Para ajudar a conter será feito o deslocamento de aeronaves e recursos para cessar as queimadas. O trabalho será realizado pelo Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, que deve atuar em conjunto com o Ibama e ICMBio

 

O soldado do corpo de bombeiros de Mato Grosso, Willy Souza Vittorazzi, conta que no período de estiagem, o Corpo de Bombeiros Militar, coloca em campo equipes extras, ou seja, instrumentos de respostas temporárias, que são bases descentralizadas mistas de bombeiros. Essas equipes vão para regiões com maior quantidade de focos de calor, e fazem um trabalho de prevenção e resposta aos incêndios florestais, como combate direto, indireto, orientações a fazendeiros e agricultores, proprietários de pousadas, sítios e pessoas do campo. “Explicamos para eles sobre o período de estiagem e o período proibitivo de queimadas, que no Estado, esse ano foi implantado desde o dia 1 de julho até o dia 30 de setembro, podendo ser prorrogado, tudo vai depender das chuvas no Estado. Também alertamos sobre as responsabilidades desse ato. Devido ao Covid, estamos conduzindo essas orientações individuais, e não em grupos, conforme sempre fazemos”, conta. 

 

O Corpo de Bombeiros está trabalhando forte para conter os incêndios, e estão também com suas aeronaves prontas para combater o fogo que se alastra pelo pantanal e todo Estado do Mato Grosso. O Ministro do Meio Ambiente ainda faz apelo para que não se faça as queimadas, pois de nada adianta todas essas ações, se continuarem a colocar fogo. 

 

Veja a notícia na TV:

 

Foto: Corpo de Bombeiros do MT

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS