Loader

Ronaldinho Gaúcho é condenado pela Justiça por construção no Guaíba

O jogador de futebol terá que remover trapiche com plataforma de pesca e atracadouro

Por FishTV - 20/01/2015 em Notícias / Geral

Ronaldo de Assis Moreira, o Ronaldinho Gaúcho, o irmão Roberto e a empresa Reno Construções e Incorporações foram condenados pela Justiça a pagar uma multa e remover um trapiche com plataforma de pesca e atracadouro construído na superfície do Lago Guaíba, em Porto Alegre. A construção está localizada em uma área de preservação ambiental. A decisão é de outubro de 2014, porém, o Ministério Público foi notificado apenas no dia 15 de janeiro. 

Trapiche foi construído em Área de Preservação Permanente. (Imagem: Tárlis Schneider/Ag.Freelance)


A construção está localizada dentro da Reserva Biológica do Lami, na Zona Sul de Porto Alegre. Uma unidade de conservação ambiental protegida por lei. A área protege alguns dos ecossistemas originais e espécies nativas da fauna e flora da região. A reserva também oferece suporte a atividades de pesquisa e educação ambiental. 

Ronaldinho Gaúcho terá que pagar uma indenização de R$ 800 mil, acrescido de correção monetária e juros. O valor será revertido ao Fundo Estadual do Meio Ambiente. Deverá ser feita a demolição da canalização do Arroio Guabiroba com muros e pedras, da pavimentação e impermeabilização de suas margens e, ainda, das pontes edificadas sobre o seu curso, todas construídas em Área de Preservação Permanente. Também deve ser realizada a recuperação e recomposição da paisagem e das características do ecossistema local.

A reserva possui cerca de 180 hectares e é uma das principais áreas de preservação de Porto Alegre. (Imagem: Reprodução)


A demolição deverá ser licenciada e o projeto técnico elaborado por profissionais habilitados, vinculados à Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Após a aprovação do projeto técnico, os réus tem o prazo de seis meses para a realização da demolição e recuperação da área, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia. 


Fonte: Ministério Público 

MAIS NOTÍCIAS