Encontro de aquicultura estreita relações entre empresas brasileiras e norueguesas

Brasil apresentou perspectivas de crescimento do setor nos próximos anos, enquanto Noruega dividiu soluções tecnológicas que vêm sendo desenvolvidas na Europa.

Por Joyce Heurich - 31/10/2020 em Notícias / Aquicultura - atualizado em 03/11/2020 as 14:56

Aproximação e troca de experiências entre empresas brasileiras e norueguesas. Essas foram algumas das oportunidades proporcionadas pelo IV Encontro Noruega-Brasil de Aquicultura, realizado na última terça-feira, 27. O evento anual, promovido pela Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) e pela Innovation Norway, reuniu mais de 200 participantes ligados ao setor em um encontro virtual. “O nosso propósito, desde o início, era formar parceria com a Noruega para criar uma estrutura de negócio que nos proporcione ganhar competitividade no Brasil”, ressalta o presidente executivo da Peixe BR, Francisco Medeiros.

Na ocasião, os participantes tiveram acesso a um diagnóstico da produção de peixes de cultivo no Brasil, que vem crescendo mais do que todas as demais proteínas animais. E o ritmo tende a aumentar. A expectativa da associação é que a produção possa quintuplicar até 2025 e que o país, hoje na quarta posição, venha a se tornar o maior produtor mundial de tilápia em 20 anos. 

“Acreditamos que nos próximos cinco anos, nós teremos incorporado à unidade de produção capacidade de produzir três milhões de toneladas de peixes nos lagos das hidrelétricas brasileiras”, destacou, durante o evento, o presidente da Peixe BR, ressaltando que a tecnologia do país europeu pode contribuir para a realidade brasileira. 

Referência quando o assunto é aquicultura sustentável e tecnologias de ponta, a Noruega aproveitou a vitrine para mostrar alguns exemplos de ferramentas que vêm sendo desenvolvidas para o setor. Entre os cases apresentados, um sistema capaz de monitorar o comportamento dos peixes e comparar rações para garantir maior crescimento do animal. Os participantes também puderam conferir uma solução que transforma o lodo dos tanques em biofertilizante, por exemplo. “A velocidade com que esses processos de melhoria são implementados é muito rápida. É muito mais fácil fazer parcerias para tecnologias do que começar a desenvolvê-las do zero aqui”, justifica o presidente da Peixe BR.

O encontro terminou com uma rodada de negócios entre empresários dos dois países. O evento recebeu apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e Embaixada da Noruega.

Veja a notícia na TV:


 

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS