Pescaria de Pirarara: dicas para garantir gigantes

Confira as dicas e as melhores iscas para a pescaria de pirarara

Por Victória Netto - 19/02/2020 em Notícias / Competições

Um acontecimento recente deu o que falar nas redes sociais da Fish TV. O apresentador do programa Remos e Rumos, o Zinho Sorocabano, estava gravando um episódio da atração no Rio Araguaia, em Goiás, quando entrou uma pirarara gigante.

O peixe era tão forte que literalmente rebocou o caiaque do pescador. Aí, muita gente ficou impressionada e começou a questionar sobre o comportamento de um peixe como esse. Por isso, separamos algumas informações e dicas sobre a pirarara e a pescaria dessa espécie.



Nativa da Bacia Amazônica e da Bacia dos Rios Tocantins-Araguaia, a pirarara, cujo nome tem origem no Tupi e significa “peixe arara”, recebeu essa denominação por conta da vistosa coloração vermelha da nadadeira caudal. O peixe remetia a um pássaro tipicamente brasileiro: a arara vermelha.

Segundo o biólogo e apresentador do programa Biopesca, Lawrence Ikeda, esse robusto e forte peixe de couro habita os grandes poções dos rios. A espécie ainda pode ultrapassar 1,5m de comprimento e chegar a mais de 50kg.

Isso explica porque a pirarara é tão cobiçada e tão esportiva, e não é de surpreender que um peixe grande assim tenha arrastado o caiaque do Zinho. Afinal, as brigas com exemplares dessa espécie envolvem sempre muita técnica, força e habilidade.

Quanto à alimentação, a pirarara tem um hábito onívoro, ou seja, consome desde frutos e sementes até outros animais. Ainda assim, esses exemplares se alimentam preferencialmente de outras espécies de peixes.

Por isso, o Lawrence Ikeda dá uma dica preciosa para a hora da pescaria. “Procure utilizar pedaços de peixes como piranhas, piaus e corimbas”, recomenda o pescador. Mas ele dá outra sugestão fundamental: siga as instruções do seu guia de pesca, porque ele sabe o que a espécie está comendo mais em cada situação.

Outro apontamento do apresentador é o uso de anzol circular ou circle hook. “Além de não prejudicar a pirarara, pode ser muito eficiente na fisgada”, recomenda Ikeda.

Agora que você já sabe o que vai encontrar em uma pescaria de pirarara, já pode escolher a melhor estratégia para a sua próxima viagem.

E se você ainda não sabe onde pescar o seu troféu, temos outra dica: o Campeonato Brasileiro de Pirarara está chegando, com etapas em abril, e você já pode se inscrever. Acesse www.brasileirodepirarara.com.br e fique por dentro! 

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS