Campeonato Brasileiro em Pesqueiros: finalistas falam sobre expectativa para a grande final

Marcado para o dia 30 de janeiro de 2021, evento contará com rígido protocolo sanitário.

Por Joyce Heurich - 18/11/2020 em Notícias / Competições - atualizado em 18/11/2020 as 15:35

Após ser adiada por conta da pandemia da COVID-19, a grande final do Campeonato Brasileiro em Pesqueiros (CBP) 2, promovido pela Fish TV, finalmente se aproxima. No dia 30 de janeiro, no Parque Maeda, em São Paulo (SP), será conhecida a dupla vencedora da etapa nacional, que levará R$ 100 mil para casa. Participam da disputa 42 duplas, de seis estados. E os finalistas já estão na expectativa. Confira aqui as duplas classificadas e regras da competição.

Competindo no CBP pelo segundo ano consecutivo, Rafael Silvério e Marcos Santos, o Markim da Lua, não levaram o título nacional da primeira vez, mas estão confiantes para esta final. Amigos de longa data, eles participaram das etapas estaduais em três estados: Santa Catarina (SC), Minas Gerais (MG) e Goiás (GO). A classificação para a etapa nacional foi por SC.

“A gente está bem mais preparado do que na outra final, vamos ver. Eu quero que seja uma final boa, vai ser bem competitiva, tem muita gente boa”, destaca Rafael, de 33 anos.

 


 

A dupla goiana tem uma forma peculiar de pescar, que costuma chamar atenção nos campeonatos e poderá ser conferida, mais uma vez, na final. Para eles, quem manda é o peixe. Uma vez fisgado, a dupla faz o que for preciso para tirá-lo da água - invade a raia do adversário [o que é permitido nessa situação], contorna o tanque de engorda, mas não desiste do animal.

 

“A gente entra focado em tirar o peixe”, conta. “A gente não senta em nenhum momento da pescaria, o tempo todo ligado, vara na mão... Eu e o Markim, a gente tem um lema: a gente é focado na pesca de tamba [tambaqui], e o tamba não aceita pescador preguiçoso”, brinca Rafael.

 

Amuleto da sorte

 

Quem também está na final, acompanhado do filho, é o pescador de Blumenau (SC) Inácio Zingel, de 55 anos. Por conta dos longos cabelos loiros que ostenta, passou a ser chamado de “Thor” na competição, em referência ao deus nórdico dos trovões representado pela Marvel. A ideia do apelido foi de um comentarista da Fish TV. E não é que a brincadeira pegou? “Agora, todo mundo me chama de ‘Thor’ e já me deram vários martelos de presente. O martelo grande eu vou levar para a final para dar sorte”, diverte-se Inácio, que participa pela primeira vez de um campeonato de pesca.

 


 

Além de contar com a sorte, ele e o filho pretendem levar as melhores estratégias para a etapa nacional. “Estamos testando várias iscas. Lá para o começo de janeiro, pretendemos fazer um treinamento, vamos testar várias iscas”, planeja o campeão catarinense.

 

Protocolo sanitário

 

Para garantir a segurança dos competidores e da própria equipe, a Fish TV organizou um rígido protocolo sanitário, que deverá ser cumprido no dia 30 de janeiro de 2021. Confira as principais regras:

 

·         Apenas finalistas e equipe da Fish TV poderão acessar o tanque de engorda do Parque Maeda onde a prova será realizada. Participação do público não será permitida.

·         Uso de máscara ou tube neck será obrigatório ao longo de toda a prova.

·         Álcool gel será disponibilizado às duplas participantes pela organização do evento.

·         Distanciamento entre as raias será maior em relação às etapas estaduais.

·         Distanciamento também será adotado na fila de acesso às raias e no momento da distribuição dos kits (boné, camiseta, regulamento) aos competidores.

·         Fiscais de prova também irão adotar protocolo sanitário, que envolve uso de máscara e luva.

 

A prova final começa às 9h e segue até as 17h30. São quatro tempos com intervalos de 30 minutos entre eles. O público pode acompanhar a competição pela Fish TV, que irá transmitir a prova na íntegra.

 

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS