Loader

PESQUISA SUGERE CRIAÇÃO DE FAZENDAS EM ALTO MAR

Expansão da aquicultura marinha pode ajudar a suprir a crescente demanda de alimentos no mundo

Por FishTV - 17/08/2017 em Notícias / Meio Ambiente

A aquicultura costeira e interior já representa mais da metade dos peixes consumidos em todo o mundo. Muitas regiões, especialmente na África e na Ásia, dependem dos peixes para a ingestão de proteínas. Mas a poluição severa, o aumento dos custos e a intensa competição por imóveis costeiros significam que a produção nessas áreas não pode se expandir indefinidamente.

Nesta segunda-feira (15), uma alternativa foi divulgada pela revista científica Nature Ecology & Evolution. De acordo com a pesquisa, os oceanos representam uma imensa oportunidade para a produção de alimentos, mas o ambiente aberto é amplamente inexplorado como um recurso agrícola.

A colheita de peixes e mariscos de fazendas em alto mar poderia ajudar a fornecer proteínas essenciais para uma população global que está prevista para aumentar um terço, chegando a 10 bilhões em meados do século. As zonas de mar aberto adequadas têm o potencial de produzir 15 bilhões de toneladas de peixe a cada ano, mais de 100 vezes o consumo mundial de frutos do mar. 

Para avaliar esse potencial, uma equipe de pesquisadores liderada por Rebecca Gentry, professora da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, realizou uma série de cálculos. Eles concluíram que cerca de 11,4 milhões de quilômetros quadrados de oceano poderiam ser desenvolvidos para peixes, e 1,5 milhão de quilômetros quadrados para bivalves, como os mexilhões.

Quase todos os países costeiros tem um grande potencial de aquicultura marinha e poderiam atender à sua própria demanda doméstica de frutos do mar, normalmente usando apenas uma pequena fração do seu território oceânico. Mas ainda há obstáculos para que a produção possa ser aumentada para atender a uma parcela significativa da demanda global.

Para expandir, o setor de aquicultura precisa entender o desenvolvimento de alimentos sustentáveis e a melhor compreensão de como os sistemas de exploração agrícola dos oceanos de grande escala interagem com os ecossistemas e o bem-estar humano. Além disso, ainda existem os custos de produção e transporte que podem frear o andamento.

Fonte: Uol

MAIS NOTÍCIAS