Rio São Francisco poderá ter nova Usina Hidrelétrica

Ambientalistas questionam a necessidade e os impactos do projeto

Por Laís Vanessa - 22/07/2020 em Notícias / Meio Ambiente - atualizado em 22/07/2020 as 12:04

O Governo Federal anunciou que irá buscar parcerias de empresas privadas para a construção da Usina Hidrelétrica Formoso, no rio São Francisco, na localidade de Pirapora. Porém, a medida não agradou aos ambientalistas que questionam a real necessidade e os impactos que esse projeto pode causar no meio ambiente.

A construção do projeto deve durar 36 meses a partir da liberação para início das obras. O questionamento do projeto se deve ao fato de que, com a construção é apontado que poderá ser perdido mais de 100 quilômetros de cachoeiras e corredeiras, onde habita a espécie de dourado endêmica da região, o Salminus Franciscanus. 

De acordo com o biólogo e apresentador do Biopesca da Fish TV, Lawrence Ikeda, o principal impacto em relação a essa espécie é a perda de habitat e, consequentemente, é afetado o ciclo reprodutivo. “O dourado tem necessidade de trecho livre para se deslocar para as regiões de cabeceira para desovar. Assim como ele, outras espécies migradoras também sofrem com a perda de habitat. O São Francisco é considerado um rio de integração nacional que sofre pelas ações homem, como a quantidade de barragens. São impactos ambientais, sociais e econômicos”, ressalta. 

Devido a essa medida foi criado uma petição contra a construção da usina, que pode gerar um grande impacto ambiental, o que vai contra o que vem sendo implantado na região. Pirapora já possui duas pequenas usinas solares, além da Marambaia, considerada a maior usina fotovoltaica da América Latina e a terceira maior do mundo. A ideia seria procurar por alternativas limpas, baratas e de baixo impacto ambiental. 

 Veja a notícia na TV:

 

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS