Betinho ensina: atado prático para suas pescarias

Aprenda a confeccionar suas iscas para a próxima pescaria

Por Betinho Oliveira - 11/06/2019 em Notícias / Fish TV

O streamer é uma das iscas mais versáteis e utilizadas na pesca com moscas, tanto que existem várias maneiras de confeccioná-lo. Seja com o uso de materiais naturais, seja de sintéticos, o importante é a quantidade e a disposição deles na haste do anzol.

Lembro de ter compartilhado, algumas vezes, várias técnicas de montagem. No entanto, ao longo dos anos, percebendo a dificuldade dos iniciantes em reproduzir com a mesma qualidade uma sequência de iscas, desenvolvi uma forma bastante didática para montá-las. Dei o nome de Streamer 123, ou 234 para iscas menores, para facilitar a memorização e também associar a quantidade de partes de material. Confira como montar esse atado:

Material

Quanto às cores do material, depende do gosto e escolha do pescador. Aqui darei apenas uma sugestão para combinação de tons.

Anzol: 3/0 a 5/0

Rabo/corpo e cabeça: cabelo sintético (verde limão, azul claro e rosa fluorescente)

Brilho: Glimmer flash iridizado, azul royal e esmeralda.

Olhos: 3D – 6  a 9 mm


O streamer é dividido em rabo, corpo e cabeça. Para o rabo você irá utilizar um tufo, para o corpo o mesmo tufo divido em dois, e para cabeça também é o mesmo tufo dividido em três, como na imagem. Simples assim! 


 Confira o passo a passo:


Para o rabo da isca:

Passo 1. 


Faça uma base com a linha de atar. Separe um tufo de cabelo sintético verde limão, divida-o em dois, desalinhe as pontas e amarre ele pela metade, próximo à curva do anzol. Reforce bem e dobre para trás e amarre novamente.

Dica: Ao amarrar o cabelo sintético, tente fazer com que esteja bem distribuído em torno da haste do anzol. Isso vai evitar que se formem “degraus” ou uma parede, que podem dificultar na amarração. 

Passo 2.


Pegue o restante do tufo, divida-o em dois novamente e amarre pela metade, um de cada lado, logo após a primeira amarração. Dobre os dois lados para trás e amarre. 

Dica: Antes de amarrar, certifique-se do desalinhamento das pontas. As pontas desalinhadas é que darão o formato da isca, sem a necessidade de aparar ao final. Coloque alguns fios do glimmer iridizado, amarre pelo meio e dobre, fazendo com que ele se espalhe  em torno da haste do anzol.

Para o corpo:

Passo 3.


Corte mais um tufo do cabelo sintético e corte-o ao meio (2 partes) e repita o mesmo procedimento do rabo. Coloque alguns fios de glimmer do mesmo tamanho nas laterais e amarre da mesma forma.

Para a cabeça:

Passo 4.


Corte mais um tufo e divida-o em três. Mantendo o mesmo princípio, desalinhe as pontas dos pequenos tufos e vá amarrando e dobrando, por cima, dos lados e por baixo.

Dorso e acabamento:

Passo 5.


Coloque alguns fios de glimmer flash na cor esmeralda e também um pequeno tufo de cabelo sintético azul claro. O comprimento deverá ficar do tamanho do corpo. Cuide para que funcione apenas como dorso e não como rabo.

Passo 6.


Amarre um pequeno tufo de cabelo sintético roxo e glimmer flash de cor azul royal para fazer o dorso.

Passo 7.


Finalize dando um toque de realismo. Cole um olho 3D de 6 ou 9 mm com ciano acrilato. Adicione um pequeno tufo de cabelo sintético rosa choque por baixo  para funcionar com uma guelra. Pinte,com uma caneta de tinta permanente, uma pequena marca para sinalizar um opérculo.


Com este tamanho de anzol, é possível pescar tucunaré e outros predadores. Gosto muito de utilizar essa isca em tamanho menor, anzol 1 e 1/0, para pescar robalos. Inclusive, pode ser colocada uma fita na cor prata holográfica nas laterais.

Lembrete: Em todos os passos da isca o material será desalinhado nas pontas amarrado uma primeira vez e dobrado para a segunda amarração. Portanto, pouco material é fundamental.

Sobre o comprimento do streamer: No caso do material sintético, o comprimento das fibras pode variar de 20 a 30 cm conforme o fabricante, portanto, muito cuidado com o exagero. Se uma fibra tiver 30 cm, após desalinhar as pontas, o comprimento aumentará para até 40 cm. Assim, se utilizar a técnica de amarrar pelo meio, sua isca ficará com 20 cm. Nenhum problema se essa for a intenção. Caso contrário, faça uma pequena redução no comprimento.

Por outro lado, se dividir o comprimento dela em dois e desalinhar as pontas, sua isca poderá ser montada num anzol 1, 1/0 ou 2/0.  Neste caso a técnica mudará o nome para 234. Se o material ficar curto, a dica é não amarrá-lo pelo meio, mas prendê-lo no primeiro terço e dobrar o restante para trás.

Trabalho da isca

Deve ser trabalhada com pequenos toques ou grandes puxadas, dependendo do peixe a ser pescado. Entretanto, o mais importante é a forma de amarrá-la ao leader. Deve-se usar algum tipo de nó que forme uma alça para não travar o nado da isca.

Todos esses materiais estão disponíveis na minha loja, Betinho Fishing & Adventures. Se houver qualquer dúvida, pode entrar em contato comigo pelo e-mail betinhoflyeco@uol.com.br ou telefone 11 3819-8424 e ver mais dicas minhas no site www.betinhofly.com.br. Boas pescarias!

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS