Loader

Laís Vanessa: Da profissão de jornalista à paixão pela pesca

Conheça a trajetória da apresentadora no mundo da pesca esportiva

Por Ester Quaresma - 06/05/2019 em Notícias / Geral

Alguns pescadores dizem que a paixão pela pesca esportiva já nasce com a gente, que é um sentimento que passa de pais para filhos, de geração em geração. Já outros dizem que é algo que se adquire, que surge assim que você toma conhecimento do esporte. Bom, não importa como você começou, o fato é que todos os pescadores têm algo em comum: a paixão pela pesca esportiva.

Com a Laís Vanessa, apresentadora de Destinos e Melhores Destinos, o sentimento pela pesca foi crescendo aos poucos. Em 3 anos a pescadora passou de arremessos com cabeleira para o domínio do popper e hélice, e está sempre buscando aprender ainda mais.

A jornalista começou na Fish TV há cinco anos, porém trabalhava na parte de redação, produzindo os conteúdos de pesca apenas na teoria. Após aprender bastante sobre pescaria, com os livros e seus colegas, resolveu se aventurar na apresentação do programa Destinos. Laís começou estudando a linguagem do pescador, para poder produzir seus conteúdos, e agora já utiliza os termos no dia a dia.

O primeiro episódio gravado para o Destinos seria também sua primeira pescaria. A apresentadora viajou para La Paz, na província de Entre Ríos, na Argentina, e já começou sua vida de pescadora capturando o rei do rio. Assim como a maioria dos pescadores em aprendizagem, Laís diz que cometeu alguns errinhos: teve cabeleira, isca perdida, peixe escapando e dificuldade na hora de segurar o troféu. Mas o que mais impressionou a pescadora foi a espera:

“Deu uns 10 minutos e eu falei: demora sempre assim?” Laís Vanessa

A apresentadora aprendeu que não é sempre assim, jogar a isca e já capturar o seu troféu. Apesar de a primeira pescaria não ter tido capturas tão imediatas, ela marcou bastante a vida da Laís, pois foi aí que o amor pela pesca surgiu e se uniu à outra paixão da pescadora: viajar e conhecer novos lugares.

Com a gravação de novos episódios, que passam por toda América Latina, Laís treina praticamente todos os tipos de pesca, capturando diversas espécies. Como tantos pescadores no Brasil, ela está em constante aprendizagem e cada pescaria é um novo desafio. E por falar em desafio, o maior deles foi o gigante pintado capturado na Argentina.

“O guia disse que tinha uns 50 quilos. Bom, o peixe era maior do que eu e tive que ficar sentada com ele, porque não aguentava de tão grande que era.” Laís Vanessa.

Essa pescaria foi tão emocionante que em pouco tempo a pescadora capturou um dourado e o maior troféu da sua vida. Enquanto se preparava para fazer o último arremesso do dia, um dourado mordeu a sua isca e começou a briga. Essa é uma aventura que pescador nenhum esquece: foram dois gigantes no mesmo dia.

Laís não costuma escolher favoritos, assim como a próxima viagem é sempre a sua favorita, o próximo peixe também. Mas se tiver que apontar alguns, o tucunaré está nessa lista. Segundo a apresentadora, como essa espécie tem muita ação, é impossível parar de pescar e foi com esse exemplar que a jornalista aprendeu a arremessar. Quando perguntada, Laís afirma que além do tucunaré mais dois peixes marcaram a sua vida: o dourado, que foi o seu primeiro, e o surubim pintado, seu grande troféu.

Outra pescaria que se destaca na vida da apresentadora é em Bahía Solano na Colômbia. Essa foi a primeira pesca em alto mar de Laís, e já chegou com muita emoção: começou uma tempestade durante as capturas. Mas como essa é uma região que está propensa a chuvas, a embarcação estava preparada para a situação e a pescaria continuou com a captura de um xaréu incrível, um peixe inédito para Laís.

Conforme a apresentadora essa boa sorte vem do seu ritual de pesca: assim como pede licença para entrar em uma sala, a pescadora também pede licença à natureza e aos peixes na hora da pescaria. E claro, não começa um arremesso sem o seu grito de guerra:

“Vem que a mamãe tá na área”. Laís Vanessa

Apesar das brincadeiras, Laís leva a pescaria bem a sério e não admite perder um peixe. Por isso, está sempre aprendendo técnicas novas e se orientando com os guias das embarcações.

Assim como Laís, vários pescadores descobrem a sua paixão pela pesca esportiva apenas quando adulto, e agora só resta correr atrás do prejuízo e ir a todas as pescarias possíveis. E você, já sabia que queria ser pescador desde criança?

Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS