Exportação de tilápia para os EUA é oportunidade para o Brasil

Venda de filé de tilápia brasileira para o mercado norte-americano cresceu 94% de janeiro a abril de 2020

Por Priscila Gomes - 17/06/2020 em Notícias / Aquicultura - atualizado em 17/06/2020 as 11:05

A tilápia está ganhando cada vez mais espaço na mesa dos consumidores norte-americanos, mas somente 5% de filés dessa espécie consumidos nos Estados Unidos são produzidos no próprio país, o restante é importado, segundo a Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR). “Em 2018, as importações de tilápia pelos EUA foram de U$736 milhões. Neste cenário promissor, a guerra comercial entre China e Estados Unidos abre espaço para a entrada de produtos brasileiros. Recentemente, a tilápia chinesa passou a ser taxada em 25%. Com isso, nossa competitividade deu um salto. Temos condições de suprir parte cada vez mais significativa da demanda desse importante mercado”, ressalta o presidente da Peixe BR, Francisco Medeiros. 

 

De acordo com dados da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e Peixe BR, a exportação brasileira de tilápia para os EUA já está em expansão, já que a venda do Brasil para os norte-americanos de filé fresco desse peixe cresceu 94% de janeiro a abril de 2020. Um exemplo dessa movimentação é a Fider Pescados, do Grupo MCassab, que recebeu a certificação Best Aquaculture Practices (BAP) - exigência para entrada em muitos países importadores - para a unidade de frigorífico e há um mês iniciou as atividades de exportação de filés frescos. 

 

O gerente de Unidade de Negócios, Juliano Kubitza, conta que os volumes ainda são pequenos e existem dificuldades com o preço de frete aéreo devido a pandemia do coronavírus, mas a empresa vê essa como uma boa oportunidade e acredita que o Brasil deverá ser um dos grandes players de tilápias no mercado norte-americano. “Porém, ainda há necessidade de um nível mais elevado de profissionalização na cadeia, além de certificações internacionais que garantam aos clientes a procedência do produto”, destaca. 

 

Segundo Kubitza, é importante também ter consistência na entrega daquilo que se promete. “Se o produtor de tilápia brasileiro só entra na oportunidade, fica marcado por isso. É um mercado que tem seus altos e baixos, por isso é fundamental que se mantenha uma regularidade de fornecimento, mesmo em momentos de margens mais apertadas”. 

A Apex-Brasil lançou o estudo “Estados Unidos da América – Tilápias 2020”, uma ferramenta para a análise das oportunidades e desafios para o setor nos Estados Unidos. O material faz um mapeamento dos principais atores, perfil de consumo do mercado e estratégias de negócios e ainda tem outras informações úteis para análise de exportações e internacionalização.

Veja a notícia na TV:


Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS