Levantamento aponta capacidade de peixes em viveiros

Número máximo de peixes é importante para uma criação rentável e sustentável

Por FishTV - 27/01/2015 em Notícias / Mercado

Realizada pela Embrapa Pesca e Aquicultura no Tocantins, pesquisa busca criar uma metodologia do cálculo da capacidade de suporte de peixes em viveiros, o que ajudará no levantamento de parâmetros para a criação de tambaqui (Colossoma macropomum) em tanques-rede no reservatório de Peixe Angical, região que fica no centro-sul do Estado. 

(Imagem: Reprodução/ Embrapa)


De acordo com o pesquisador Jones Simon, que lidera o projeto, o objetivo é saber qual é o número de peixes que cada região do reservatório pode comportar sem gerar danos ambientais e sem prejudicar outras atividades. Além disso, características locais e interferências externas são fatores que influenciam nos resultados, tanto que dentro do próprio reservatório a capacidade das áreas pode variar. Desse modo, cada área de piscicultura terá uma capacidade de suporte própria. Segundo Simon, Peixe Angical foi escolhido, pois é um reservatório quase intocado, sem atividades exploratórias significativas. "O fato de haver pouca interferência humana é interessante do ponto de vista científico, pois é uma condição muito próxima da natural", explica.

Desenvolvido pela Embrapa e financiado pela empresa Enerpeixe, o projeto tem certa importância para a preservação do reservatório. "O projeto vai permitir saber a real capacidade de suporte que o reservatório terá para a atividade de aquicultura intensiva, o que é de suma importância para a preservação do manancial para os diversos usos e principalmente para a produção de energia", declarou o especialista ambiental da Enerpeixe, Albert Junior Bovareto.

A partir do trabalho, a qualidade da água do reservatório já foi analisada, resultando em estudo socioeconômico da região em questão. Será realizado ainda o acompanhamento de um ciclo completo de criação, desde o tambaqui filhote até o ponto de abate. Os primeiros resultados do projeto estão previstos para o primeiro semestre de 2016. Espera-se que ele seja referência para cultivos de pescados em outros reservatórios d`água.


Fonte: Embrapa Pesca e Aquicultura 
Avalie esta notícia:

MAIS NOTÍCIAS